Palavra de Sua Voz

Lei - A Lei de Deus rege todos os fenômenos, não há ciência, religião e filosofia que lhe possa alterar o funcionamento.

À conta individual entre ofensor e ofendido substitui-se pela conta entre o indivíduo e a LEI de Deus.

A idéia da existência de uma LEI não é nova, é, porém, nova a idéia de meter-se a estudá-la para conhecer-lhe o conteúdo e a técnica funcional, aprendendo, assim, a manejá-la com habilidade e a calcular os efeitos das próprias ações.

Só podemos aplicar uma teoria se a conhecemos, sobretudo em nossa vida diária; para ver e aprender o funcionamento da Lei, Pietro Ubaldi nos legou dois volumes: A Lei de Deus e A Técnica Fucional da Lei de Deus.    

A LEI atinge sua finalidade, que é a de fazer funcionar a evolução e, por meio dela, levar todos à salvação.

A LEI de Deus é a lei universal da vida, como universais são as Leis do mundo físico e dinâmico que dela fazem parte.

A LEI de Deus é verdadeira e funciona para todos: católicos, protestantes, espíritas, budistas, maometanos etc., inclusive para os ateus que tudo negam.

A LEI é a nossa vida. Conhecê-la e executá-la cada vez melhor, redunda em vivê-la mais intensamente.

A LEI é boa, sábia, paciente e misericordiosa, mas é também justa, de uma justiça inflexível.

A LEI é como um trilho sobre o qual a vida caminha e que estabelece para cada movimento a estrada correta a seguir.

A LEI é Deus. Ele é a grande alma que está no centro do universo. Não centro espacial mas centro de irradiação e atração. Desse centro, Ele irradia e atrai, pois Ele é tudo: o princípio e suas manifestações.

Para encontrar Deus e a Sua Lei, basta entrar em sintonia com Ele, que está em toda a parte, inclusive em nosso "eu" espiritual.  

A LEI é o pensamento e a vontade de Deus, se fosse possível destruí-la com a revolta, seria possível também destruir Deus, o que é o mais inaceitável dos absurdos.

A LEI é uma casa cômoda para se morar, mas nós não sabemos nos mover dentro dela, porque somos feitos de desordem.

A LEI exprime o pensamento e a vontade de Deus e constitui a regra fundamental de nossa conduta.

As religiões desconhecem o conteúdo da LEI e os prin-cípios que regem a vida de modo que não os podem ensinar.

Cada pensamento e ação deverá ser feito com absoluta sinceridade e honestidade, dirigido para fins determi-nados, porque se sabe que a LEI é justa e responde com a mesma linguagem que se usa com ela.

Como no espírito está o nosso pensamento, assim também na LEI está o pensamento de Deus.

Dentro dos limites marcados pela LEI ou vontade de Deus, a causa está na vontade do homem, pela qual lhe é permitido escolher entre o certo, permanecendo na ordem da Lei, e o errado, saindo dessa ordem, desobedecendo-lhe.

É empolgante observar e estudar o pensamento com que a LEI governa o funcionamento orgânico do universo e a nossa própria vida.

Há grande diferença entre quem trabalha colaborando, em harmonia com o organismo de forças da LEI e quem, pelo seu egocentrismo, colocando-se em posição de antagonismos com a LEI, fica sozinho, abandonado aos seus pobres recursos.

LEI, sempre Lei, exata nas consequências de qualquer ato, férrea nas conclusões e sanções, poderosa, imensa, matematicamente precisa em suas manifestações.

Ninguém é culpado sozinho, por estar atrasado no caminho da evolução, mas cada um sofre o dano de não ser obediente à LEI.

Ninguém está tão amarrado pela obediência à LEI, quanto o rebelde.

O conhecer a LEI, o senti-la presente, o vivê-la, dá aquele sentido de segurança de quem se apóia sobre a rocha, conhece as consequências de suas próprias ações e sabe que em cada ocorrência a última palavra pertence à justiça de Deus.

O grande problema resume-se em compreender. Compreender para em seguida aplicar a LEI.

Conhece-se a Lei, ampliando a capacidade perceptiva do espírito. Assim podemos obedecer-lhe racional e intuitivamente. Se erramos, é possível corrigir o erro e mudar a trajetória de nosso destino.  

O plano da LEI é tornar o homem livre e consciente colaborador da divina obra da perene criação, um operário, um ministro de Deus.

O que de Deus e do S (Sistema) fica conosco, em torno de nós, dentro de nós, funcionando sempre, portanto suscetível de observação e experimentação, é a LEI. Esta exprime, em forma tangível, a presença do S (Sistema) no AS (Anti-Sistema), a imanência de Deus em nosso universo.

Pode evitar-se ou enganar a LEI da gravidade? Assim não se evita nem se engana a reação da Lei, a justiça divina.

Quem considera o ma1 como inimigo não compreendeu a perfeição da LEI.

O mal não é um inimigo, é colocado em nosso caminho porque devemos à Lei, é uma oportunidade que se nos oferece para fazer o bem.  

Se a LEI impõe a continuação da vida, isto acontece porque a vida é um meio para realizar a evolução.

Se humildemente obedecermos aos ditames da LEI de Deus, poderemos contar com o Seu poder e a teremos em nossa defesa.

Se quisermos fugir à dor e conquistar a felicidade, qualquer que seja a nossa filosofia ou religião, temos de compreender que existem LEIS, existem Leis, existem Leis; se continuarmos violando-as, como costumamos fazer, teremos tanto sofrimento que acabaremos por compreender que existem Leis e, se não quisermos continuar sofrendo, não há outro caminho a não ser o de nos ajustarmos a elas.

Seguir a LEI quer dizer obedecer a vontade de Deus.

Seja qual for a religião a que o homem pertença, seja o maior dos ateus, ele obedeceu, obedece e obedecerá sempre a Deus, no sentido de que não pode escapar da Sua LEI.

Temos falado que há uma LEI. Aprenderemos, pouco a pouco, a arte sutil de viver em harmonia com essa Lei que representa Deus, arte que constitui o segredo da felicidade.

Todas as vezes que agimos contra a LEI de Deus, semeamos para nós mesmos a dor, ainda que dela estejamos separados por um mar de vantagens e de prazeres.

As vantagens e os  prazeres acabam, porque pertence ao Anti-Sistema, e nós ficamos sozinhos diante da Lei.

Todas as vezes que obedecemos a LEI de Deus, semeamos a alegria, ainda quando dela nos separe um abismo de provas e de dores.

Todos. Sábios e ignorantes, obedecem, embora mais ou menos conscientemente, ao irresistível impulso determinado por Deus, e, queiramo-lo ou não, vivemos a Sua LEI.    

Liberdade - Tem-se sede como nunca de liberdade, de uma liberdade mais ampla, liberdade de espírito.

A LIBERDADE em desacordo com a Lei é impossível.

A LIBERDADE suprema das criaturas, no Sistema perfeito, nós só a podemos entender como LIBERDADE de obedecer a Deus, espontaneamente, por livre adesão, vivendo perfeitamente harmonizados em Sua ordem.

A verdadeira LIBERDADE só se pode alcançar com a ascensão e com a luta por conquistá-la.

A verdadeira LIBERDADE, a que conduz à felicidade, consiste em conformar-se com a Lei, e não em lançar-se como prisioneiro dos baixos instintos, que nos fazem recair no inferno do Anti-Sistema.

Certas LIBERDADES não podem ser concedidas àqueles que estão sempre prontos a abusar de tudo.

A nossa liberdade espiritual ainda é limitada, semelhante a de um peixe  dentro de um rio. A liberdade plena é uma conquista com o retorno a Deus.

Com a experiência da queda, acontece que, quanto mais se evolui, tanto mais a LIBERDADE se torna liberdade de obedecer à Lei e sempre menos vontade de a ela desobedecer.

Deus não podia impedir a queda sem violar o princípio da LIBERDADE.    

É verdade que o homem faz as coisas mais importantes da sua vida, como nascer, reproduzir-se, morrer, com muito pouca LIBERDADE de escolha, movido por forças que desconhece.

Foi deixada aos espíritos a LIBERDADE de possuir a perfeição e felicidade de dois modos: 1) obedecendo a Deus, funcionando harmonicamente segundo a Lei em seu organismo; 2) desobedecendo a Deus, errando, para depois corrigir-se; caindo, para levantar-se; destruindo a perfeição, mas para depois ter de reconstruí-la integral-mente.

Parte da criação preferiu experimentar a desobediência, usando a própria liberdade.

No estado de perfeição dos espíritos que aderiram à Lei, só há uma LIBERDADE possível: a da absoluta adesão à Lei, à vontade divina, adesão livre e espontânea, querida e consciente.

O evolvido é aquele que alcançou a verdadeira LIBERDADE que somente o conhecimento pode outorgar. É a liberdade de auto-dirigir-se conscientemente e não aquela de obedecer aos próprios instintos.

O homem quer a LIBERDADE para libertar-se da disciplina. Pelo contrário a liberdade presume e exige uma disciplina maior, livre, mas responsável, auto dis-ciplina interior, mais difícil de possuir do que aquela estabelecida pela obediência a uma autoridade, em função desta, somente exterior e irresponsável.

Quem está situado no AS (Anti-Sistema), entende por LIBERDADE a de desobedecer, semeando a desordem e criando o caos, enquanto que no S (Sistema) só há a liberdade de mover-se organicamente de acordo com todos os outros seres, como sucede com as células em nosso organismo.

Somos livres na escolha, porém responsáveis pelas consequências; LIBERDADE e responsabilidade.

Tendes, ó homens, a LIBERDADE de vossas ações nunca a de suas consequências.

 

Ter de respeitar os direitos dos outros pode constituir, às vezes, uma renúncia à própria LIBERDADE; porém, esse sacrifício torna-se bem pago quando por ele recebemos, como recompensa, respeito para com nossos direitos.

Livre - Como nunca, hoje o homem sente que a vida é tanto mais bela quanto mais livre.

Hoje a humanidade está mais evoluída. Somente a evolução leva a conquista da liberdade de espírito.

 

É necessário compreender que a criatura é LIVRE, mas dentro de limites, livre para alterar-se a si mesma, mas não a ordem universal.

É uma liberdade controlada por sanções penais ou pelo próprio indivíduo, em relação a este mundo. Em relação a Lei é a mesma coisa. Por isto, o ser mais evoluído é mais livre.    

Na realidade, todos nós somos filhos apenas de nós mesmos, e nossa posição presente é a consequência fatal de nosso passado LIVRE.

O ser foi uma vez dono, e continua sendo-o sempre, de escrever com suas mãos o seu destino, Deus o deixa LIVRE de escrevê-lo como quiser. Mas se o ser o escrever errado, terá de endireitá-lo, não porque alguém o vá cons-tranger a isso, mas porque ele não ficará satisfeito e não terá paz até que esse endireitamento seja realizado.

Livre-arbítrio - A Lei deixa ao homem o livre-arbítrio só o quanto necessita para estabelecer as causas, mas não para fugir dos efeitos.

Nosso LIVRE-ARBÍTRIO não é absoluto, ilimitado.

O LIVRE-ARBÍTRIO que cada ser possui depende do nível da evolução por ele atingido e da medida de sua consciência, inteligência e conhecimento.

O nosso LIVRE-ARBÍTRIO é uma pequena liberdade enquadrada em uma Lei absoluta.

Luta - A luta é a condição primordial da evolução, que é uma longa escada que temos de subir com nosso esforço.

A LUTA é um meio para despertar a consciência.

A LUTA não se destina a selecionar o biótipo do mais prepotente, do dominador egoísta, do destruidor anti-social do bem alheio; não se trava para fortalecer-nos na animalidade, mas para ultrapassá-la e dela sair para formas de vida superiores.

A luta aqui é espiritual, entre espírito e matéria, Sistema e Anti-Sistema.  

Dize-me como e por que coisa LUTAS e te direi quem és.

LUTAR para vencer, ou seja, para elevar-se, ascender, evolver.

Luz - A luz de Deus bate às portas de sua alma e pede para entrar, mas permanecem hermeticamente fechadas.

Abertas as portas, a LUZ entra por si mesma. Aqueles que não estejam habituados ao trato com coisas espirituais de tal profundidade, não se amedrontem.

LUZ e sombra são conexos e a sombra serve para compreender e procurar a luz. Onde tudo é luz sem sombra, num todo homogêneo, não é possível nenhuma distinção.

Joana - Cristo é o derradeiro grito de Joana d’Arc, que é de vitória.

Ela conheceu o cálice da redenção: foi traída, vendida, julgada e condenada a morrer queimada, presa a um madeiro.

Há também uma progressão ascensional no caminho espiritual de JOANA d’Arc.

Jovens - Entre os jovens forma-se uma classe social própria, toda uma realidade de vida.

Os adultos são ainda da velha escola e preferem ocultar a verdade, julgando não existir aquilo que não se vê. Mas os JOVENS a descobrem, porque querem ver, compreender, resolver.

Os JOVENS crêem ter nascido para gozar, quando na verdade, nasceram para experimentar e aprender, consequentemente, para evoluir, o que significa subir e melhorar as condições de vida.

Os JOVENS estão famintos de sinceridade, honestidade, justiça. Estão desiludidos do passado, muitas vezes enganoso, pelo mau uso de que foi feito tantas verdades.

Judas - Houve um momento de livre-arbítrio, de hesitação, no qual Judas vacilou.

Cristo compreendia JUDAS, ao passo que Judas não compreendia Cristo.

JUDAS ficou abandonado, porque o verdadeiro traído e vencido é ele.

JUDAS quis espontaneamente constituir-se traidor, isto é, quis escolher, entre as qualidades boas ou más, estas últimas; com repetidos pensamentos e ações, ele as absorvera e fixara em seu biótipo, de modo que não podia mais mudar-se, ao menos no momento.

JUDAS via as coisas do ponto de vista da Terra e Cristo do ponto de vista do céu.

O caso de JUDAS não é o único. O bem e o mal, no passado, amarram-nos a todos no presente. O destino de todos, na fase de efeito, é em certos pontos determinístico.

Determinismo não é fatalidade, é consequência do livre-arbítrio.

Quando JUDAS traiu Cristo com um beijo, este lhe perdoou. Mas tal perdão não pôde impedir que a culpa da traição devesse ser paga à divina justiça.

Julgamento - A melhor maneira de se conhecer uma pessoa é observar os seus julgamentos a respeito dos outros.

Julgar - Para poder julgar um ser é necessário compreendê-lo, para compreendê-lo, é necessário saber viver no seu grau de evolução.

Justiça - A divina justiça, mesmo no mundo interior, reina em perfeito equilíbrio.

A JUSTIÇA quer que tudo seja conquistado e merecido.

A verdadeira JUSTIÇA, que o homem procura em vão, pertence a plano de vida mais alto.

Amor e JUSTIÇA não são senão dois modos de agir da Lei, igualmente ascendentes ao S (Sistema), duas estradas para atingir o mesmo telefinalismo: Deus.

Telefinalismo: supremo fio condutor que reconduz tudo a Deus.

O sistema da JUSTIÇA divina é sumamente respeitador da liberdade individual.

Pilatos e Cristo, a forma não compreende a substância, a força não compreende a JUSTIÇA.

Se o mundo fosse de evoluídos, já se teria alcançada a JUSTIÇA social.

Viver e agir ao lado da Lei e de Deus, quer dizer operar conforme a JUSTIÇA.

A JUSTIÇA tem de ser conquistada porque ela é um princípio do S (Sistema) que, para realizar-se, deve vencer as resistências de AS (Anti-Sistema) e cumpre ao homem fazer o esforço necessário para conquistar esta vitória.

Harmonia - Toda harmonia é uma festa, pois nos eleva e nos aproxima de Deus.

Viver em HARMONIA com Deus significa construir a si mesmo e à própria felicidade.

Herdeiros - Sempre somos herdeiros, somente de nós mesmos.

História - A história jamais caminhou uniformemente, mas sempre por ações e reações, por impulsos e con-trachoques, progredindo no tempo, não como um rio canalizado em margens feitas pelo homem mas como um curso dágua, deixado livremente vagar pela planície, que por ela serpenteia da maneira como o seu dinamismo lhe permite.

Ao lado da HISTÓRIA aparente há outra, mais profunda, a História substancial.

Homem - A coisa simples e tremenda que o homem de hoje tem de fazer, na encruzilhada dos milênios, é colocar a alma nua diante de Deus e examinar a si mesmo com grande sinceridade e coragem.

A História não é feita pelo HOMEM, mas pelas forças imponderáveis que o guiam.

A liberdade de cada HOMEM pode comparar-se à dos peixes, de mover-se nas águas de um rio.

O peixe pode nadar em qualquer sentido, até contra a correnteza, mas não pode sair do rio. Assim é o homem, não pode fugir da Lei.

A nova classe de HOMENS se distinguirá por meio de características biológicas.

Hoje se distingue um tipo do outro por caracteres físicos.

A vossa crise, se é profunda e dolorosa, fará, no entanto, nascer o HOMEM novo do terceiro milênio.

Através de longuíssimo caminho de evolução, o HOMEM subiu uma parte da montanha e está saindo da animalidade. Seu atual esforço é o destacar-se definitivamente da besta. Ele subiu uma parte da montanha, mas ainda tem muito que subir.

Compete ao HOMEM, com seu trabalho, transformar o caos em ordem, na qual ele possa viver bem.

Dado o seu tipo biológico, o ponto de partida e de referência para o HOMEM é sempre a matéria; ou seja, o corpo, em função do qual pensa e age. Por isso, quando quer tomar o caminho da espiritualidade e da santidade, tem de começar agredindo a própria animalidade, para destruí-la.  

Agredir aqui tem o sentido de vencer, superar, para espiritualizar-se.

É necessário civilizar o HOMEM no terreno religioso, como no erótico, para que encontre o equilíbrio do seu "eu" entre os dois pólos opostos, o da animalidade a superar e o da espiritualidade a conquistar.

Este será o tipo do HOMEM que a evolução produzirá no futuro, um homem que saberá dirigir conscientemente e com conhecimento, não só a sua vida, mas poderá contribuir com as diretrizes do fenômeno evolutivo em seu planeta.

Há HOMENS que por fora vivem em palácios luxuosos e por dentro definham em casebres miseráveis.

Esses biótipos marcham contra a vontade da Lei.

Não são necessários novos sistemas: é preciso que surja o HOMEM novo.

No estado atual, o HOMEM está em fase de transição entre duas biologias: animal e espiritual.

O HOMEM atual não merece condenação, antes até, admiração, por ter sabido emergir, até aqui, de estados tão selvagens.

O HOMEM concebe tudo à sua imagem e semelhança, porque não pode pensar senão com o seu cérebro e a sua forma mental, que é filha do plano físico onde ele se encontra.

O HOMEM conquistou o poder fora de si, o domínio da Terra. Agora tem que conquistar o poder dentro de si, o domínio do espírito.

O HOMEM deve tomar inteligentemente a direção do fenômeno da sua reprodução, para que não fique abandonado às leis inferiores do plano biológico da animalidade, com todas as suas consequências.

Isto só é possível com o planejamento familiar, já em prática em alguns países.

O HOMEM do futuro não será um animal forte, um astuto lutador, mas um cidadão consciente do universo.

O HOMEM do subconsciente está completamente escravo dos seus impulsos instintivos, sem controle. O homem do consciente é dono dos seus instintos, que controla com a razão, da qual é escravo, porque não possui outro meio para dirigir e pesquisar o desconhecido.

O homem do superconsciente é dono dos instintos e da razão, que domina e controla, orientado pelo seu conhecimento e pela intuição.

O HOMEM é livre o suficiente para construir o próprio destino.

O HOMEM engana-se ao crer-se árbitro de tudo, quando na realidade não é, senão árbitro do próprio destino.

O HOMEM evangélico vive na Terra, imerso no mesmo pântano, mas com os olhos voltados para o céu, sem prender-se em tal ambiente.

Está nesse planeta, mas não é deste mundo.

O HOMEM faz a guerra mas anseia a paz, faz o mal, mas anseia o bem, odeia mas está sedento de amor.

O HOMEM guarda consigo a sabedoria da vida mineral, vegetal, animal, através das quais se reconstruiu até à sua atual fase humana; agora, percorrendo-a, prepara-se para a super-humana que entrevê na luz do ideal longínquo.

O HOMEM não sabe que é eterno, indestrutível, centelha de Deus, destinado a subir sempre mais.

O HOMEM no futuro terá uma vida inteligentemente planificada, na qual muitas dores poderão ser previstas e evitadas, eliminando-lhes as causas.

O HOMEM pode escolher a corrente negativa, descendente que retrocede para o mal e a dor ou pode escolher a corrente positiva, ascensional, que progride em direção ao bem e à alegria.

O HOMEM que está situado ao longo da estrada, acha-se no meio do choque entre os dois impulsos opostos: a matéria quer sufocar o espírito e o espírito quer libertar-se da matéria.

O HOMEM superior, excepcional em nosso mundo, vive no nível do super-consciente, fala e compreende uma linguagem mais elevada.

O HOMEM, em milenar ascensão, vai despertando formas mais sutis de sensibilidade.

O sucesso imediato do HOMEM deixa-o acreditar ter conseguido enganar o próximo e a Lei; entretanto, ele somente conseguiu enganar a si mesmo.

Para o HOMEM racional, o superconsciente é o pensamento intuitivo sintético do super-homem, também para o animal o superconsciente é o pensamento racional humano, para a planta é o pensamento sensitivo do animal, para a molécula da química orgânica é o pensamento celular vegetativo da planta e para o átomo é o pensamento molecular da química.

A escala ascensional é esta:átomo, molécula da química orgânica, pensamento celular vegetativo, pensamento intuitivo sintético e pensamento místico unitário, e mais além ainda não concebido.

Para progredir, o HOMEM tem de aprender a destruir todo o seu egoísmo individualista, próprio do Anti-Sistema, e começar a viver em colaboração com os seus semelhantes, irmanando-se com eles numa só unidade orgânica: a humanidade.

Se o HOMEM é livre, é, pois, também responsável e deve fatalmente sofrer as consequências de suas ações.

Se o HOMEM vai conquistando o conhecimento do universo, é porque a sua vida se dilata proporcionalmente.

Sem dúvida, o HOMEM do mundo está bem proporcionado ao seu ambiente, satisfeito, e até apegado a ele.

Subindo do mineral à planta, verificamos o aparecimento de uma vida vegetativa mais ampla, com o animal surge a vida sensória e o movimento mais livre; com o HOMEM desponta a vida psíquica que alcança um conhecimento maior, assim por diante.

Toda organização é boa quando o HOMEM é bom: é má quando o homem é mau.

Todo HOMEM dotado de inteligência terá o dever de honestidade e justiça.

Ver Cristo enganado a cada passo, o Seu sacrifício emborcado e colocado a serviço de interesses humanos, o seu pensamento desfigurado, o seu amor dilacerado pelos seus representantes e seguidores, eis o tormento do HOMEM espiritual!

Honestidade - Há um caminho que não engana, essa passagem estreita é a honestidade pela qual só passam os justos, os sinceros, os obedientes à Lei.

O evoluído pede que os outros pratiquem a HONESTIDADE, já experimentada por ele em seu próprio benefício; enquanto o involuído pede que os outros pratiquem a honestidade, que ele não conhece, em seu proveito.

Humanidade - A esperança para o futuro é o advento de uma humanidade mais consciente dos seus deveres, fruindo de maiores direitos; mais inteligente para compreender a vantagem de viver na ordem, sem a ameaça contínua da força, das cadeias, do inferno.

A grande descoberta da HUMANIDADE futura consistirá no fato de dar-se conta da presença da Lei e em conseguir ver-lhe o funcionamento em cada detalhe, desde os grandes fenômenos cósmicos aos pequenos fatos de nossa vida cotidiana.

A Lei está presente em todo o universo e em cada ser. Comecemos por enxergá-la em nós mesmos.

A grandeza dos povos e das civilizações faz-se através de lutas ferozes; se a HUMANIDADE chegou até ao estado atual, deve-o ao fato de ter sabido vencer, com qualquer meio, os elementos, as feras, os inúmeros inimigos, prontos a atacá-la.

A HUMANIDADE está saindo da menoridade e prepara-se para tomar as diretivas da evolução no seu planeta.

A HUMANIDADE paga, porque é filha de seus erros milenares.

A HUMANIDADE percorre atualmente o caminho do retorno. Só assim se pode compreender o conceito de redenção e o significado da vinda e do sacrifício de Cristo na Terra, motivos tão centrais na história da humanidade.

A HUMANIDADE se encaminha para as grandes unidades políticas e espirituais.

A globalização, o Fórum Econômico Mundial, o Fórum Social Mundial, que acontecem atualmente, são tentativas para que as grandes unidades sejam alcançadas.  

Assim como a futura HUMANIDADE será uma unidade racial e nacional acima das diferentes unidades raciais e nacionais, assim também a religião do futuro será uma unidade espiritual acima das diferentes unidades religiosas.

Unidade espiritual não é unificação religiosa, uma só religião no mundo. Cada religião tem a sua diretriz, mas todas convergem para um mesmo objetivo: Deus. Isso é unidade espiritual - monismo

Grande parte da HUMANIDADE ainda está dominada pelos princípios do egoísmo separatista do Anti-Sistema. Por isso se explica porque ainda no plano humano esteja em pleno vigor a lei da luta pela vida e da seleção do mais forte.

Nossa HUMANIDADE é jovem ou, seja, primitiva, riquíssima de energia e muito pobre de sabedoria.

O futuro da HUMANIDADE está biologicamente em sua espiritualização.

Podemos imaginar o futuro da HUMANIDADE na forma de uma mente cada vez mais iluminada. O próprio órgão cerebral terá de aperfeiçoar-se anatomicamente.

Que grandioso é sentirmo-nos todos unidos, numa só HUMANIDADE, num compacto organismo.

Humano - No ser humano, que é a fusão de uma alma com um corpo, estão conexos fenômenos de ordem espiritual e material, com consequências físicas de fatos psíquicos, efeitos psíquicos de causas físicas.

As duas realidades, exterior da matéria e interior do espírito, são os dois extremos do atual concebível HUMANO.

Quando subimos, desaparecem as distinções HUMANAS.

Nós HUMANOS, portanto, voltaremos a Deus com uma forma de personalidade completamente diferente, ou seja, não como somos hoje, um amontoado desorganizado de elementos separados e rivais, mas na forma de tipo biológico orgânico, que representa um modo de existir completamente diverso.

Vivemos em permanente conflito consciencial, com a evolução, os conflitos se dissipam e vamos reintegrando na ordem do Todo, no Sistema.

Ideal - A descida do ideal é um presente do Alto, é uma irradiação que provém de Deus, que assim se faz imanente até aos mais baixos planos involutivos para salvar o ser.

É inevitável que qualquer IDEAL, descido do alto, não possa sobreviver na Terra senão na forma torcida, adaptando-se às condições biológicas dos indivíduos que têm de realizá-lo.

Os IDEAIS de justiça e liberdade se fazem sempre mais necessários.

Para compreender o fenômeno da descida do IDEAL é necessário, antes de tudo, compreender como funciona a lei biológica terrestre no nível humano e com que técnica evolvem as suas formas.

O ideal está ligado à evolução da humanidade, o fenômeno de sua descida à Terra depende do povo, se está apto a recebê-lo.

Para nós o céu de onde os IDEAIS descem é constituído por planos biológicos ou níveis de evolução mais avançados, superiores (o Alto), planos lógicos que no processo evolutivo sejam alcançados no futuro.

Idéia - A idéia comunista, como uma semente levada longe pelo vento, não se sabe aonde chegará e germinará, numa forma que talvez em nada recorde sua origem russa.

A IDÉIA é universal, pertence à humanidade. O povo só porque foi escolhido como instrumento para o arremesso, acredita que a coisa seja sua, será posto de lado quando não mais servir aos objetivos da vida.

A justiça social é a grande IDÉIA para a qual o mundo caminha.

Antigamente poucas IDÉIAS bastavam para viver e se transmitiam de pais para filhos; hoje a ciência, com as descobertas e a técnica, desloca cada dia os limites do conhecimento e as condições de vida.

Em qualquer campo a nova IDÉIA que vem sempre do Alto é intuída pelo gênio.

Para que uma IDÉIA seja aplicável em toda parte, é necessário que seja universal e não o produto apenas de um dado povo ou regime.

Uma IDÉIA não poderá ser compreendida no seu século se este é surdo às ressonâncias que ela excita.

Para o mundo compreender e assimilar uma idéia nova, precisa de séculos e até milênios, o maior exemplo é o do Cristianismo.

Ignorância - A IGNORÂNCIA é fruto da queda, fruto que se anula com a subida, e nós estamos justamente realizando esse trabalho de anulação da IGNORÂNCIA.

A IGNORÂNCIA gera o erro, que gera a dor, que destrói o erro e a ignorância.

A subida evolutiva, fìlha do conhecimento e da experiência, corrige a queda involutiva, mãe da IGNORÂNCIA e do erro.

Imortalidade - Imortalidade de fato não é senão um estado contínuo de consciência acordada, de conhecimento da própria existência e da dos outros, de mente que percebe e de inteligência que entende.

Imponderável - Hoje, sabe-se pouco ou nada da realidade do imponderável em que se registra tudo quanto pensamos ou fazemos e do qual tudo renasce.

O IMPONDERÁVEL não é, pois, o acaso ou a desordem, mas é uma lei, uma ordem que nós não conhecemos.

No atual nível evolutivo em que nos encontramos, o imponderável está fora de nosso alcance. O progresso espiritual é o único caminho que nos faz conhecê- lo.  

Os IMPONDERÁVEIS do espírito tornar-se-ão verdadeira potência dentro de vós.

Impulso - Enquanto o impulso da conservação é negativo e vai para a cristalização, a velhice e a morte, o impulso da renovação é positivo e vai para o progresso, a juventude e a vida.

O conservadorismo é sinônimo de estagnação, enquanto a renovação é dinamismo, em qualquer campo, sobretudo no espiritual.  

Um grande IMPULSO para a frente impele a todos, o involuído de hoje tornar-se-á o evoluído de amanhã. Trata-se de uma grande marcha, da qual todos os seres participam.

Inconsciente - O inconsciente se compõe de duas zonas: o subconsciente, que pertence ao passado, e o superconsciente, que pertence ao futuro.

Individualidade - Cada individualidade é composta de individualidades menores, que são agregados de individualidades ainda menores, até o infinito negativo; por sua vez, é elemento constitutivo de individualidades maiores, as quais são de outras ainda maiores, até o infinito positivo.

Indivíduo - A cada novo impulso egoísta o indivíduo se encontra mais prisioneiro de si mesmo, mais armado e feroz contra si próprio.

A posição do INDIVÍDUO será determinada pelo próprio tipo de vibração.

As zonas de subconsciente, consciente e superconsciente são relativas ao desenvolvimento do INDIVÍDUO.

Os INDIVÍDUOS oscilam entre os dois planos de vida e entre as duas leis que os regem. Ora lançam-se num, ora no outro; ora ouvem e escutam a voz do bem e efetuam o esforço da subida, ora abandonam-se às forças interiores e retrocedem, para refletir e avançar de novo.

A evolução não acontece em linha reta, é subindo e descendo, voltando a subir mais alto, ela é cíclica (evolução-involução-evolução), em que há sempre um ganho.  

Na maioria dos casos, o INDIVÍDUO vive cegamente, sem saber quem é e sem conhecer as finalidades para as quais existe, que explicam e justificam a sua vida.

Ainda permanece a eterna pergunta: "de onde eu vim, o que estou fazendo aqui, para onde eu vou"? Só a evolução faz o indivíduo respondê-la a si mesmo.  

Inferno - A idéia do inferno não foi criação de um grupo sacerdotal, mas uma necessidade psicológica, imposta pelo estado de involução em que se achava o homem no passado.

Para afastar-se do INFERNO do AS (Anti-Sistema) e atingir o paraíso do S (Sistema), há só um caminho: o da evolução.

Para os animais que evoluíram até ao plano humano, este pode parecer um paraíso. Mas, para os que pertencem a planos mais adiantados, nosso mundo pode parecer um INFERNO.

Infinito - O conceito de infinito é completamente diferente do de indefinido, inumerável, incomensurável, com os quais muitas vezes se confunde.    

Inspiração - A inspiração é um despertar consciente na profundeza do qual está Deus.

Se a fonte de INSPIRAÇÃO está no Alto, eu devo viver sempre inspirado para o Alto.

Inspirado - O gênio, o artista, o santo, na qualidade de seres inspirados, são espiritualmente fortes.

Inspirativo - Estou escrevendo estas últimas páginas na idade de oitenta e um anos, em plena lucidez, com técnica inspirativa supercerebral, isto é, com uma técnica de pensamento que não se ressente da natural dissolução senil do cérebro.

A idade conservou em Pietro Ubaldi o processo inspirativo, por isto chegou aos 80 anos e até a morte perfeitamente lúcido, consciente do que escrevia. O último livro Cristo foi escrito num  estado de conciência ainda mais iluminado e inspirado.  

Fenômeno INSPIRATIVO é um caso normal de sensibilização por evolução biológica.

Instinto - É verdade que, ao lado de todos os outros instintos, o homem também tem o instinto do progresso, que visa a melhorar suas condições de vida, material e espiritual.

O homem funciona ainda impulsionado, irresistivelmente, pelos seus INSTINTOS, fruto do seu passado.

Quando o homem acredita mandar, na verdade, obedece aos próprios instintos; quando grita que quer liberdade, sem sabê-lo, pede a liberdade de obedecer àqueles INSTINTOS.

Vossos atos , vossas experiências, vossas reações ao ambiente, fixam-se em automatismos psíquicos, tornam-se hábitos, e depois serão INSTINTOS e idéias inatas.

Inteligência - A inteligência humana é por si mesma uma força criadora e das mais poderosas.

Cada coisa está em seu lugar. Não desprezemos o progresso técnico. É uma conquista, não só porque nos liberta das necessidades materiais, como também porque desenvolve algumas qualidades do espírito, como a INTELIGÊNCIA.

O desapego das coisas materiais, a falta de orgulho, de cobiça de domínio e de posse, o espírito de altruísmo e de obediência à Lei de Deus, tudo isto não é só problema de virtude ou santidade, mas de INTELIGÊNCIA, que vê onde está a verdadeira vantagem.

Quantas dores e quantos danos poderiam evitar-se para todos, nas vidas dos indivíduos como nas das socie-dades, se a conduta humana fosse guiada com mais INTELIGÊNCIA!

Intuição - A intuição atua no superconsciente que é uma antena estendida por antecipação.

A sabedoria da INTUIÇÃO é a sabedoria simples e profunda das grandes almas.

Deixe também florescer em mil formas o jardim da INTUIÇÃO. Cada flor diversa será igualmente bela e exprimirá uma revelação. Ver-se-á, então, que, em es-sência, cada flor, em sua variedade, traduz a mesma eterna beleza e canta a mesma infinita sapiência.

Os grandes saltos para frente foram dados pelo homem, nunca experimentalmente, nunca racionalmente, mas por INTUIÇÃO, verdadeiro e grande sistema de pesquisa do futuro.

O dia em que o cientista souber usar a intuição, as descobertas serão mais fáceis e mais profundas. Quando o cristão aprender a usar a intuição sentirá Deus dentro dele mesmo.  

Para avançar ainda, é preciso despertar, educar, desenvolver uma faculdade mais profunda: a INTUIÇÃO.

Involuído - A palavra involuído não tem nenhum sentido depreciativo, mas apenas o de imaturo, que amanhã amadurecerá.

Aos poucos, a evolução absorve a involução e o INVOLUÍDO se transforma em evoluído.

Na Obra de Pietro Ubaldi  a involução está contida na evolução.

O que distingue e revela o INVOLUÍDO, é exatamente o espírito de agressividade, enquanto o que distingue e revela o evolvido, é o espírito de amor.

Quanto mais nos distanciamos do estado INVOLUÍDO, isto é, da matéria e da forma carnal, tanto mais nos distanciamos de suas dores e ilusões.

E mais nos aproximamos de Deus.

 

Guerra - A guerra nos parece como um assalto do mal a serviço do bem.

A GUERRA é desejada pela ignorância humana e permitida por Deus.

De GUERRA em guerra não pode encontrar senão a paz.

Todos detestam a GUERRA, mas todos admiram o vencedor.

A destruição material, pela guerra, nada é comparável à destruição maior, a das almas.

A GUERRA se faz, cada vez mais, com capitais e indústrias, e, cada vez menos, com patriotismo e espírito heróico.






  • pesquise na obra
  • avancemos
  • palestras e estudos
  • livro a lei de Deus
  • congressos
  • livraria