Palavra de Sua Voz

Velhice - Ao início de uma nova vida, o eu que, na velhice, enrolou-se sobre si mesmo, fechando-se no subconsciente, desenrola-se na meninice e juventude da nova encarnação, assumindo como ponto de partida da nova vida o que foi o ponto de chegada no fim da precedente.

Temos que preocupar-nos, desde jovem, com o próximo nascimento lá ou cá novamente, para que possamos evoluir sempre mais.

Para os evoluídos, mais fortes no espírito, a VELHICE significa fim e morte apenas da própria forma exterior, material, fato que não mata, mas liberta a parte espiritual do seu ser, parte cuja vida assim se intensifica com a velhice, ao invés de decair.

Vencer - Vencer não por haver debelado um inimigo, sobrepondo mal a mal, mas vencendo o mal com o bem.

VENCER para aproximar-se de Deus, vencer não para si mesmos mas para o bem de todos.

Verdade - À concepção de uma verdade cada vez mais vasta, chega-se através da unificação das verdades relativas particulares.

À medida que avançamos no conhecimento, menos nos sentimos sábios, menos acreditaremos possuir a VERDADE, menos nos apresentaremos diante de Deus com o orgulho do fariseu, que crê poder julgar a si mesmo e à Lei. Não. A verdade não é uma cômoda paralisação em posições estabilizadas, mas é o próprio, exaustivo e incessante caminhar ascensional para Deus.

A VERDADE absoluta, total, completa, nos escapa. Ela está em Deus, não no homem.

A VERDADE não pode sofrer mudanças se olhada por esta ou aquela nação, se observada por uma raça ou outra, porque a alma humana é sempre a mesma em toda parte, se examinada em sua profundeza.

A VERDADE que desejaríamos só poderá ser o fruto da completa reconquista do mundo perdido, porque ela está situada no ponto final da evolução, realizada através do progresso de tantas verdades relativas.

A VERDADE só pode ser atingida por amadurecimento biológico, que é o único que nos pode levar à compreensão, pois é ele que nos abre os olhos da alma.

Às diferentes fases da evolução espiritual correspondem diversos graus de conhecimento e diferentes aproximações de revelação da VERDADE.

Não é lícito violar o sagrado direito de pensar e de procurar a VERDADE. Pode até mesmo acontecer que, quem formalmente esteja fora de uma religião seja mais religioso e esteja mais próximo de Deus do que quem esteja dentro, em plena ortodoxia.

O objetivo fundamental da verdadeira ciência é o mesmo que o das religiões: a busca da VERDADE.

Permanecemos com o maior respeito por todas as VERDADES que o homem possui e pelos grupos que às representam.

Vivemos num mundo de VERDADES relativas que podem parecer contraditórias, enquanto são complementares. Assim espírito e matéria são aspectos diferentes do mesmo princípio, olhados de pontos de vista distintos. Trata-se de visões parciais que basta reunir numa visão global mais vasta, para que desapareça nela a contradição.

Vibração - Gerador de vibrações não o é somente o mundo exterior, mas também o mundo interior.

O que individualiza é o tipo de VIBRAÇÃO que constitui a manifestação de vida do ser.

Tudo se resume em saber olhar, em saber sentir as VIBRAÇÕES do mundo espiritual.

Vida - A maior parte dos seres humanos e todos os animais vivem sem nada saber. Apenas obedecem aos impulsos da vida, que para eles tudo sabe.

A morte e a dor são o tributo de todas as formas periféricas de VIDA e, por conseguinte, também da vida terrena.

A nossa VIDA atual apresenta-se, muitas vezes, como um fenômeno sem causas e sem efeitos, se considerada isoladamente. Para ser compreendida, é preciso concebê-la em função das vidas precedentes que a prepararam e das vidas futuras que a completarão.

A plenitude da VIDA está em Deus e o ser a conquista subindo para Ele com a evolução, enquanto a perde afastando-se Dele com a involução.

A única coisa que faço é ler no livro da VIDA e sou apenas um pobre amanuense que procura transcrevê-lo e fielmente.

A verdadeira VIDA não é uma síntese de substância protéicas, mas consiste no princípio que essa síntese estabelece e dirige; a vida não reside somente na evolução das formas, mas na evolução do centro imaterial que as anima; a vida não está na química complexa do mundo orgânico, mas no psiquismo que a guia.

A VIDA é dura para quem pensa primeiro nos próprios deveres, numa sociedade em que geralmente cada um costuma pensar antes de tudo nos próprios direitos.

A VIDA é feita para evoluir, ainda que o faça através da dor, para uma alegria cada vez maior.

A VIDA é grande e bela, mesmo na dor mais atroz e tenaz é sempre digna de ser vivida.

A VIDA é para todos uma viagem, e cada trajeto dela representa um trecho percorrido pelo homem no caminho de sua evolução.

A VIDA é sempre positiva, construtiva, saneadora. Somos nós que tomamos o caminho negativo. Ela vem a nosso encontro para salvar-nos, empurrando-nos do caminho errado para o certo.

A VIDA é um vaso a que se deve dar um conteúdo, um meio que necessita de um fim.

A VIDA é verdadeiramente um caminho e, nas vicissitudes de cada dia, a alma elabora o seu destino.

A VIDA enveredou por um caminho novo, para o psiquismo, que é o primeiro grau da espiritualização.

A VIDA não é contra a riqueza mas é apenas contra a riqueza furto, contra a exploração, contra a renda herdada sem esforço e gozada ociosamente, contra a riqueza parasitária, a qual é improdutiva para a coletividade e, por isso, danosa.

A VIDA não é feita para gozar, mas para aprender. Compreendido isto, logicamente se vê que tudo está em seu justo lugar e funciona como deve. É necessário ter compreendido que a VIDA é uma escola, um laboratório experimental.

A VIDA não é ócio, mas esforço de conquista.

A VIDA no além-túmulo significa um acordar na profundeza do inconsciente, enquanto no período da matéria, a consciência fica limitada à superfície do "eu". Mas é naquela profundeza que está escrita a história do indivíduo e está escondida a parte mais importante e secreta da sua personalidade, aquela que é tarefa da psicanálise descobrir.

A VIDA possui uma sabedoria íntima, muito acima de nossa vontade e conhecimento, da qual somos grandemente devedores, por termos chegado até aqui e conseguirmos sobreviver a cada minuto.

Cada um nasce com a sua personalidade já elaborada e, conforme a natureza desta, escolhe o ambiente e plasma a sua VIDA; depois, segundo o que escolheu e viveu, tem morte diversa e enfrenta o além.

Cada VIDA sobrepõe uma nova camada às precedentes, e elas nos contam toda a história daquela existência. Cada um leva consigo o livro onde tudo foi escrito, que não pode ser apagado, porém, lido.

Para os mais evoluídos acontece como se fosse um filme, em que é possível  fazer a análise do débito e do crédito contabilizados na Lei durante a vida.

Caminhando, caminhando, chega-se ao último ato. Aparece o extremo horizonte para além do qual cai o pano. Na velhice quem viveu apenas para o presente, na matéria, olha para trás com saudade, agarrando-se ao passado que lhe foge. Quem viveu em função do futuro, no espírito, olha para a frente cheio de esperança na direção de nova VIDA que o espera. O primeiro é verdadeiramente velho, espírito e corpo. O segundo é velho apenas no corpo, mas é jovem na alma. Para quem viveu preso à Terra, é o fim. Para quem viveu olhando para o alto, é o princípio.

Como o que não morre não pode ter nascido, assim o que existia antes do nascimento não pode morrer. O que não nasceu com a VIDA, não morre quando a vida cessa.

É certo que a VIDA pensa. Vemos seus efeitos, que nos revelam uma extraordinária sabedoria, porém, a vida não formula seu pensamento com palavras, como fazemos nós. Ela age, não fala. Sua linguagem é concreta, manifestando-se materializada nos fatos.

É difícil a arte de saber viver bem. A VIDA é um vaso que podemos encher com o que quisermos.

É necessário não esquecer que a VIDA é uma escola, e uma escola é feita de contínuas provas a serem superadas.

Elevar-se é a grande meta da VIDA, elevar-se pelos caminhos do espírito.

Em alguns momentos da VIDA é necessário sermos deixados sozinhos diante do obstáculo.

Não desperdiceis vossas energias, não pareis à beira do caminho, não adormeçais enquanto a VIDA está desperta e caminha; se cada dia tiverdes sabido criar no espírito e na eternidade, se tiverdes dado a cada ato esse objetivo mais alto e mais substancial, tereis caminhado com o tempo e não direis: o tempo passou! Tereis renovado vossa juventude com vosso trabalho e não tereis envelhecido tristemente. Então não direis mais da vida: vanitas vanitatum.

O ponto máximo de vossa VIDA psíquica custa a chegar e, por vezes, só aparece no fim, muito depois da juventude do viço físico, última delicada flor da alma.

O verdadeiro objetivo de nossa existência, o de construirmos a nós mesmos, não pode ser alcançado no limitado número de experiências de uma só VIDA.

Quanto mais nos elevamos, tanto menos estamos jungidos a formas de VIDA na matéria, e menor é a necessidade da carne, produto da conjunção sexual que é parte daquele mundo inferior e ilusório.

Só a elevação espiritual faz superar a matéria.

Quanto mais se desce, tanto mais a VIDA se contrai em uma dura casca de egoísmo que não abre as portas ao amor. Quanto mais se caminha para o alto, tanto mais a vida se oferece abrindo as portas ao amor.

Se a VIDA psíquica não é filha direta dos pais, tem parentesco com estes pela via da afetividade, que a chama e atrai para determinado ambiente.

Se VIDA = permuta e permuta = psiquismo, então a vida = psiquismo.

Segundo as leis da VIDA, para poder dirigir, é preciso ter as qualidades necessárias e quem não as tem deve obedecer.

Sem Amor por mais rica que seja a VIDA, ela é estúpida, sem objetivo destituída de sentido.

Tudo na VIDA é uma contínua luta entre a necessidade de conservação, a que preside o instinto do egoísmo, e a necessidade de expansão, a que preside o instinto altruísta do Amor.

Virtude - A virtude deve engrandecer a vida, desenvolvê-la e não sufocá-la.

A VIRTUDE está em usar tudo com medida e desprendimento, com a finalidade de viver, existir com o objetivo de evoluir.

Devemos ser virtuosos, porém com mais inteligência. Consiste a VIRTUDE em fazer a vida elevar-se, e não em mutilá-la e matá-la.

Para o evolvido as VIRTUDES representam uma norma de vida das quais experimentou a utilidade, uma disciplina que valoriza quem a segue, uma lição bem assimilada.

Quem procura verdadeiramente a VIRTUDE, procura-a em si mesmo e não nos outros e, se a possui, não a exibe para honrar-se.

Visão - A visão das grandes coisas de Deus escapa a quem olha de perto as coisas humanas.

Continuei a observar aquela VISÃO. Setembro de 1931. As duas formas não constituíam só uma indefinida manifestação de presença. Cada uma delas transmitia à minha percepção interior uma típica e individual vibração que a definia como pessoa. Foi assim que pude logo sentir com clareza inequívoca que à minha esquerda estava a figura de São Francisco e à direita a de Cristo.

Esta visão está magistralmente descrita, com detalhes, no primeiro capítulo de Um Destino Seguindo Cristo.

Visão da Lei de Deus - Um degrau após outro, no final da Obra e da vida, encontro-me, agora, de olhos abertos com a visão da Lei de Deus. Escrevendo, fui à escola e aprendi. Mas, ao mesmo tempo, quis explicar também aos outros. Todavia não posso fazer com que o desejo de transmitir se possa adquirir por simples leitura de livros. Isto porque não posso mudar a Lei. Ela exige que a ascensão só se realize com o esforço de cada um, pelo qual se conquista sua própria evolução. Nestas condições, contudo, o caminho pode ser percorrido e a meta atingida por todos.

Visão da presença de Deus - A visão da presença de Deus não é uma abstração, mas é a percepção de uma realidade viva e positiva. Esta realidade objetiva é o S (Sistema), que se alcança por evolução, atingida pelo grau de sensibilidade ou de desenvolvimento da capacidade perceptiva, pela perspicácia psíquica ou pela elevação mental.

Visão de Deus - A visão de Deus pode ser alcançada por dois caminhos diferentes: 1°) o da compreensão – intelectualmente desenvolvido –, da estrutura e funcionamento orgânico do todo, isto é, por meio de um estado de iluminação da mente que atingiu o conhecimento e que, através da obra na qual Deus se expressa, contempla o seu lado espiritual; 2°) o da percepção, por parte do evoluído sensibilizado, da irradiação de positividade e potência criadora e saneadora, que emana do centro – Deus – com a imensa e arrastadora onda da vida que tudo investe, sustenta e impele para o bem.

O evoluído pode atingir uma aproximação cada vez mais clara da VISÃO DE DEUS, por estar Ele no ápice da escada da evolução, no fim do percurso que vai do AS (Anti-Sistema) ao S (Sistema). Esta visão é o produto de um amadurecimento e, por isso, ela se faz tanto mais clara quanto maior é o desenvolvimento que pode alcançar cada indivíduo.

Estes pensamentos sobre a Visão de Deus estão no último capítulo do último livro: Cristo

Vitória - A vitória maior não é a que se conquista sozinho e para si, destruindo, mas a conquistada ao lado de Cristo, construindo, para o bem do próximo.

A VITÓRIA real é a que vence com a bondade a maldade, com o altruísmo o egoísmo, com o perdão a ofensa.

Vontade - É necessário transformar a tremenda vontade de viver que existe em todos nós numa VONTADE de evoluir, porque é o evoluir que dá significado e valor à vida.

Voz - A voz protegeu-me inúmeras vezes do perigo como se fora um amigo vivo e inseparável.

Pietro Ubaldi está falando de Sua Voz - Cristo.  

De além do tempo e do espaço chega a minha VOZ.

Filho meu, minha VOZ não despreza tuas pequeninas coisas de cada dia.

Humildemente, para vossa salvação, eu vos suplico: escutai a minha VOZ.

Minha VOZ é universal e se desvia das dissenções humanas.

Minha VOZ é ampla como o universo, solene como o infinito.

Ultrafania - Ultrafania assume o poder de grande inspiração, ativa e consciente.

Unidade - A lei das unidades coletivas é universal, e ninguém pode escapar dela.

Unificação - A unificação é o caminho da ascensão.

As características da nova era serão a UNIFICAÇÃO e a universalidade.

O mundo está buscando a unificação, mas ainda não descobriu o caminho. Unificação sem universalidade é mais difícil de ser alcançada.    

O nosso princípio é a UNIFICAÇÃO. Mas não a de grupo, baseada em sectarismo e proselitismo para lutar, isto é, para dividir e vencer alguém, e sim uma unificação com a Lei de Deus, com a sua harmonia universal e ordem suprema.

Um dos maiores problemas que o mundo de hoje tem de enfrentar e resolver, é o da UNIFICAÇÃO em todos os campos: político, econômico, demográfico, religioso, social.

Universo - As fases mais concebíveis e próximas de nosso universo são matéria, energia e espírito. O UNIVERSO físico evolve para o dinâmico que evolve para universo psíquico; mais além, evoluciona para planos superpsíquicos.

A Grande Síntese apresenta um estudo completo sobre Universo físico, psíquico e superpsíquicos.

Até mesmo os UNIVERSOS nascem, crescem, envelhecem e morrem.

Há dois UNIVERSOS: o verdadeiro, de natureza espiritual, perfeito, e uma contrafacção sua, imperfeita, o material, em evolução para a perfeição.

O funcionamento e a evolução do UNIVERSO comprovam a presença do pensamento divino.

O UNIVERSO é criação contínua e se mantém apenas em virtude dessa criação.

O UNIVERSO é organismo de forças que obedecem apenas a mãos habilidosas e sábias.

O UNIVERSO é um grande organismo do qual eu, como todos, sou uma pequena engrenagem, útil, inconfundível, necessária, eternamente em função.

O UNIVERSO é um movimento contínuo que não se desenvolve ao acaso, mas segundo normas precisas, estabelecidas por uma lei que representa o pensamento e a vontade de Deus.

O UNIVERSO, desde o plano físico ao espiritual, é um sistema orgânico, dirigido por um princípio de ordem que sempre melhor realizamos, quanto mais evoluímos.

Quanto mais se ascende, evolutivamente, mais sutilmente se sente o UNIVERSO.

Todo o UNIVERSO gravita em redor de Deus e aos poucos acabamos por nos fundir Nele.

Tudo é relativo em nosso UNIVERSO, que é relativo.

Sabedoria - Na sabedoria divina o mal está a serviço do bem.

Só a SABEDORIA pode tranformar a Terra em paraíso.

Salvar - Quem quer, esteja onde estiver, pode sempre salvar-se.

Santa - Não pode negar-se que uma pedra satisfaça totalmente às virtudes de pobreza, castidade e obediência, pois ninguém é mais pobre, casto e obediente que uma pedra. No entanto, bem longe está uma pedra de ser santa.

Santidade - A Santidade é algo de positivo, de construtivo no espírito, e não apenas destrutivo no corpo; é feita com a renúncia, só para conquistar mais e em ponto mais alto; é feita com a solidão apenas para abraçar todas as criaturas; é feita com os ócios materiais e aparentes da contemplação, unicamente para dinamizar-se numa atividade espiritual maior.

A SANTIDADE é antes de tudo um fato privado entre a alma e Deus, único que pode julgar o mérito.

Da nova moral nasce outro tipo de SANTIDADE, ou seja, a que não corre apenas atrás de miragens egoístas mas se projeta em direção ao próximo para ajudá-lo a viver.

Santo - Enquanto o santo está vivo, muitas vezes o perseguem e até o matam. Só quando foi de todo embora, quando a sepultura está bem fechada, e se está bem seguro de que não fala mais, então nasce o grupo que o santifica.

Presentemente, ao lado do SANTO, tem valor também o cientista, igualmente útil no meio social, porque amplia a inteligência, e vale tanto quanto desenvolver a bondade.

Satanás - A personalidade de Satanás está presente em todos os seres como princípio de trevas, enquanto Deus está presente neles como princípio de luz. Treva significa: inconsciência, matéria, prisão na forma, estado involuído. Luz significa: consciência, espírito, libertação, estado evoluído.

A realidade é que, embora SATANÁS e seu poder pareçam espantosos, o nosso universo está impregnado da presença de Deus imanente, de modo que a vitória está garantida e as portas infernais não prevalecerão.

Como Deus está situado no centro do sistema, assim SATANÁS está situado na periferia do Anti-Sistema.

Quando o homem desce até ao delito, nele encontramos uma sempre maior personificação de SATANÁS.

Relegar SATANÁS e os maus, num inferno eterno, não é ato digno de Deus, já que não podemos admitir que Sua criação possa ter, nem mesmo apenas em parte, um fim tão desgraçado.

SATANÁS é a treva que se aninha em cada ângulo, no qual se ocultam o mal e a dor para nos golpearem traiçoeiramente. Satanás é o veneno depositado no fundo de toda taça, a dor sempre pronta para macular as nossas alegrias. É a moléstia que assalta a saúde, é a morte que espreita a passagem da vida. É a traição que está no fundo da amizade. É o ódio em que está prestes a trans-formar-se no amor. É o princípio de destruição que secretamente mina todas as construções humanas. É o princípio do mal que sempre busca manchar a obra do bem. É um princípio que toma forma concreta em atos e pessoas. Satanás é ignorante diante do céu.

Semeadura - A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Portanto livres, mas responsáveis.

A SEMEADURA do passado é o presente, o presente é a semeadura para futuro.

É a lei de causa-efeito, livre-arbítrio e determinismo.

Semear - Ide pelo mundo e semeai no tempo a nova civilização do espírito.

Semente - Muitos são incapazes de ver uma árvore na semente e não conseguem aperceber-se de sua existência, a não ser quando plenamente desenvolvida.

Assim podemos ver no corpo forte de um atleta ou franzino de uma criança almas em evolução.

Tal como a SEMENTE produz o fruto e o fruto produz a semente, o pensamento produz a ação e a ação produz o pensamento.

Senhor - Enfrentei as forças titânicas da vida, para superá-las. Elas se rebelaram e fizeram de mim um farrapo. Tremi na solidão das noites de insônia; arrastei-me nas vias de meu dever, de unhas e cotovelos, quando os pés já me sangravam. Tenho vivido para sofrer e tenho sofrido para amar-Te, Senhor.

Que importa se ganhei ou perdi, se estou bem ou mal, se sou rico ou pobre, amado ou amaldiçoado, se Tu estás aqui, SENHOR, e eu não me encontro mais sozinho, se Tu estás ao meu lado e me animas?

SENHOR, eu sou o Teu servo, nada mais quero do que isto.

SENHOR, eu Te ofereço a mim mesmo pela salvação do mundo.

SENHOR, seguir-Te-ei até à cruz.

Esses foram os três votos que Pietro Ubaldi fez no início da missão (1937) e os repetiu e viveu a vida inteira.

Ser - O mais importante, de tudo isso, é que vamos subindo de um plano de existência para outro mais elevado, onde vão desaparecendo a prepotência, a injustiça, a maldade, as lutas e os sofrimentos que atormentam o ser nos planos inferiores.

O SER é livre, mas o universo é um conserto musical onde qualquer dissonância produz sofrimento.

O SER inferior continuará a agredir o mais evoluído, acreditando estar vencendo, enquanto perde a melhor ocasião para subir; e o mais evoluído continuará a sacrificar-se até conseguir, com a bondade e o amor, derrubar as portas do egoísmo e da ignorância, vencendo a animalidade e fazendo emergir o homem de seu baixo plano de vida.

Os dois extremos do SER, Sistema e Anti-Sistema, continuam frente a frente mesmo em nosso mundo.

Para o SER perfeito, a liberdade só pode ser uma: a de existir de acordo com a ordem daquela perfeição, porque sem aquela ordem não pode existir perfeição.

Todos os SERES tendem a reagrupar-se, à proporção que evoluem, em unidades coletivas, em colônias, em sistemas sempre mais abrangentes.

Sexo - A determinação do sexo, é feita pelo espírito, conforme ele, dadas as suas qualidades, ache mais adequado para si viver num corpo masculino ou num feminino.

O ser para evoluir tem necessidade das qualidades masculinas e femininas, que se fixam  através das reencarnações.

Não se pode menosprezar a função do SEXO como elemento equilibrador na formação e na saúde psíquica da personalidade.

São os dois tipos complementares de atividade humana: no homem, a força para vencer, e na mulher, o amor para gerar. No primeiro, temos o chamado SEXO forte, e no segundo, o belo sexo.

Será lícito o livre uso do SEXO quando ninguém ficar prejudicado, nem o indivíduo, nem o outro termo, nem terceiros, nem os filhos já nascidos, ou gerados.

Temos dois modelos que a vida nos oferece  em nosso planeta em relação ao fenômeno do SEXO,  inclusive o da raça humana. Neste terreno, derivam dois tipos fun-damentais da ética:

   1) A ética feminina do amor, de natureza sexófila.

   2) A ética masculina da força, e de natureza sexófoba.

Sexofilo - amigo do sexo, sexófabo - aversão ao sexo.

Sexófoba - À corrupção do reinado de Luís XV, com a sua ética sexófila dirigida para o prazer, seguiu-se a revolução francesa com o feroz puritanismo de Robes-pierre e o período guerreiro napoleônico, com a sua ética SEXÓFOBA voltada para a conquista.

No mundo, encontramos povos de diversas naturezas: os guerreiros conquistadores, com virtudes masculinas de força, trabalho, inteligência, e uma forma mental que despreza o amor, da qual deriva uma ética SEXÓFOBA; e os povos pacíficos, sensíveis, com virtudes femininas de bondade, tranquilidade e sentimento e uma forma mental que aprecia o amor, da qual deriva uma ética sexófila.

Se as leis religiosas, muitas vezes, seguem a direção SEXÓFOBA, não é por sua culpa. Tomam essa atitude, por falta de amadurecimento do ser humano. É perigoso conceder liberdade a um ser que ainda não possui capacidade para dela fazer bom uso; pelo contrário, é instintivamente levado ao abuso.

Sexofobia - A mulher se tornou econômica e socialmente independente, livre da sua habitual e natural submissão ao homem. Se ganhou de um lado, perdeu de outro. Conquistou respeito, liberdade, poder, mas perdeu a sua posição de rainha no domínio do amor, que interessa ao homem e é fundamental para a mulher. Essa transformação da sexofilia em sexofobia pode ter gerado um povo rico, de elevado padrão de vida, economicamente poderoso, mas nem por isso um povo feliz.

A SEXOFOBIA do Cristianismo justifica-se pela necessidade de impor, à força, ordem e disciplina ao ser humano involuído, inexperiente e inconsciente, levado a procurar na lei mais um meio para dela evadir-se do que compreender a vantagem de obedecer-lhe.

Sexual - Com a América do Norte, no terreno da ética sexual, prevaleceu o princípio sexófobo, como aconteceu no facismo, no nazismo, no comunismo, embora tenha acontecido por razões diversas e para atingir finalidades diferentes.

Para atingir a reunificação, ambos os biótipos espirituais, com qualidades masculinas e femininas, precisam atravessar todas as experiências tanto do próprio tipo SEXUAL como do oposto, pois só assim, somando-se e completando mutuamente suas complementações, podem fundir-se e assim formar o biótipo completo, em que coexistem todas as qualidades do ser.

Sexualidade - A reforma é grande. Trata-se de mudar a atual comum psicologia do amor. Trata-se de não concebê-lo apenas como função animal reprodutiva, em que se unem dois corpos; mas sobretudo, como função de geração espiritual, na qual se fundem duas almas. Eis que a sexualidade aparece com um significado positivo, além da sua função multiplicadora no plano material.

Vemos assim na Terra almas de tipo masculino encarnadas em corpos SEXUALMENTE masculinos, da mesma forma que em corpos sexualmente femininos; e ao contrário, almas do tipo feminino, encarnadas em corpos sexualmente femininos, como também em corpos sexualmente masculinos.    

Sintonia - Sintonia quer dizer capacidade de ressonância. Espiritualmente sintonia é simpatia, isto é, capacidade de sentir em uníssono.

Sistema - Com a evolução, é mister reconstruir todo o Sistema. A cada passo adiante, os métodos do Sistema substituem os do Anti-Sistema. Avança-se lutando e sofrendo por um caminho áspero e cheio de pedras e espinhos.

Nem todo o SISTEMA se transformou em Anti-Sistema. Uma parte do Sistema permaneceu íntegra em sua perfeição, ao passo que na outra parte, rebelde, a ordem se desfez na desordem.

No fundo do Anti-Sistema está sempre o SISTEMA, no fundo dos espíritos decaídos, está sempre a originária centelha divina.

Como a queda foi qualitativa, as qualidades divinas da criatura permaneceram com ela em estado latente.

No SISTEMA todos os seres sentem, pensam e existem em perfeito uníssono, formando uma união como se fora somente um ser.

O que arruinou, não foi o SISTEMA, como obra perfeita não podia arruinar-se, mas foram os seres que se precipitaram no Anti-Sistema, em que tudo se emborcou. Assim caíram os elementos rebeldes, mas não a obra de Deus que permaneceu inviolável.

O que significa reingressar no S (SISTEMA)? Significa sair da zona de atracão do AS (Anti-Sistema), para entrar na do S, significa sair do campo gravitacional de signo negativo para entrar no campo gravitacional de signo oposto, positivo.

Social - Bastaria compreender e aplicar o Evangelho para conseguir a igualdade social.

Sonhos - Nos sonhos o subconsciente nos devolve as impressões recebidas, revela-nos os seus segredos, conta-nos a sua verdadeira história, o que lhe é proibido de dia pela consciência acordada que sabe, na luta pela vida, como cada sinceridade pode ser fraqueza perigosa.

Subconsciência - A subconsciência é consciência profunda, um organismo mais íntimo; o ser interior, a verdadeira personalidade.

Subconsciente - Não é fácil ser lúcido no subconsciente, saber fazer funcionar esta consciência profunda.

Nas jazidas do SUBCONSCIENTE fica depositado tudo o que nele colocamos. De lá, ele está pronto para ressuscitar no consciente da vida atual.

No SUBCONSCIENTE está escrita nossa história, no consciente o esforço da subida, no superconsciente o futuro.

O que de fato dirige a psicologia das massas é o SUBCONSCIENTE, com os seus impulsos atávicos, que chamamos de instintos, filhos de experiências primitivas.

Somente assim podemos compreender tanto desatino cometido pela massa enfurecida quando alguém dá o grito de comando.

O SUBCONSCIENTE abrange tudo o que foi aprendido no passado, gravado na alma por longa repetição e que volta e continua funcionando em forma de automatismos ou hábitos adquiridos.

O SUBCONSCIENTE é um inconsciente inferior, feito de material já conquistado que o ser possui em síntese, adquirido com sua sabedoria. O superconsciente é um inconsciente superior a conquistar, que constituirá a sua sabedoria futura. O primeiro transmite ao consciente os resultados das suas experiências em forma de impulsos sintéticos. O segundo transfere ao consciente os seus pressentimentos, antecipações situadas ainda fora das suas experiências e à espera delas.

O SUBCONSCIENTE não raciocina, não procura saber ou explicar, mas repetindo a lição aprendida, conforme as qualidades adquiridas, inconscientemente, envia de volta os impulsos com os quais o eu foi formado no passado.

Sublimação - Amanhã, numa humanidade mais evoluída, a vida poderá aplicar princípios mais adiantados, tais como os da sublimação espiritual.

Em substância, evolução biológica e SUBLIMAÇÃO espiritual são a mesma coisa. Esses são os primeiros passos no caminho da subida. Trata-se de transformar o mundo da matéria no do espírito, com todas as suas qualidades.

Sublime - O maravilhoso e o sublime podem a cada passo nascer dentro de nós.

Substância - A forma não pode criar a substância, de que depende a felicidade dos filhos e o futuro das raças.

 

A SUBSTÂNCIA de coisa alguma pode ser destruída; ressurge de outra maneira.

Não podemos admitir que a SUBSTÂNCIA divina fosse de natureza material, mas apenas espiritual.

Quando a SUBSTÂNCIA toma a forma dinâmica se chama energia.

Temos uma eterna e indestrutível SUBSTÂNCIA que do estado de puro pensamento (espírito, alfa) pode passar ao de energia (beta), e desta, finalmente, ao de matéria (gama), involutivamente; e ao contrário, evolutivamente permanecendo ela sempre substância do Todo, o último irredutível elemento da realidade que só pode ser Deus, centro do ser, princípio e fim de todas as transformações.

Todos nós sabemos que nada se cria e nada se destrói, mas isto no que se refere à SUBSTÂNCIA eterna e não quanto à forma em que a idéia abstrata venha a manifestar-se.

Superconsciência - A superconsciência é a percepção interna, intuição, síntese, infinito, absoluto, dimensão de +x, a fase super-humana.

Superconsciente - O subconsciente, o consciente e o superconsciente são como três andares do mesmo edifício e o ser pode morar no inferior, no médio ou no superior, andares que correspondem aos diferentes níveis de evolução. Quem mora no inferior não pode conhecer o que há no superior, até que entre em seu novo aparta-mento, subindo a escada, degrau a degrau. Mas quem mora no apartamento superior se lembra do que há nos inferiores, onde já morou no passado. Pode acontecer que o homem racional, consciente em seu comportamento, siga os instintos animais que voltam através do subconsciente, andar inferior onde residiu no passado. Isto significa momentâneo retrocesso a posições evolutivas atrasadas.

O SUPERCONSCIENTE revela ao homem, em lampejos de intuição, fases de evolução superiores, que pertencem ao futuro. Essa é a zona das revelações das religiões, como das novas descobertas da ciência.

O SUPERCONSCIENTE representa para o atual biótipo humano uma fase de evolução ou nível biológico ainda a explorar e conquistar, que hoje somente alguns atingem, pioneiros do porvir, como são os heróis, os gênios, os santos, isolados, fora de série.

Relativamente a um dado nível de evolução, o ser pode encontrar-se em três posições diferentes: a do SUPER-CONSCIENTE, do consciente e do subconsciente.

Super-homem - Acompanhamos o homem em suas ascensões, pelos caminhos do trabalho, da renúncia, da dor, do amor, todos convergentes para sua maturação biológica e sua transformação em super-homem.

O SUPER-HOMEM, seja ele poeta, artista, músico, filósofo, cientista, herói, chefe, santo; seja ele de preferência um intelectual que desenvolve as forças do pensamento, um dinâmico da vontade e da ação, ou um místico que cria no campo do sentimento e do amor, no ímpeto de sua fecundidade; ele é sempre um tipo de superconsciência e na sublimação de sua personalidade, um gênio.

Supernormal - Como Galileu descobriu o céu, Co-lombo novos continentes e hoje se conquista o espaço, estamos aqui adentrando no supernormal, aventurando-nos nas superiores e inexploradas amplidões do espírito.

Tempo - O tempo existe somente como medida de transformismo (involutivo-evolutivo), cessando quando este termina.

TEMPO é o ritmo, a medida do transformismo fenomênico, um tempo mais amplo que a medida de vosso Universo físico e dinâmico.

Terra - A Terra é um inferno porque vós sois demônios. Tornai-vos anjos e a Terra será um paraíso.

Em nosso planeta e dentro de nós existem todos os recursos para fazer da TERRA um jardim, e de nós, anjos.

Quando o ponto de referência é o corpo e a TERRA, função dos quais se pensa e se vive, tudo permanece nesse plano.

Quando o ponto de referência é o espírito, os fatos e fenômenos a ele relacionados permanecem nesse referencial.

Sou um exilado na TERRA e busco desesperadamente a minha gente e a minha pátria distante.

Emmanuel revelou por Chico Xavier que Pietro Ubaldi interpreta o pensamento das altas esferas de onde ele provém.

Trabalhar - Parar além do repouso indispensável é culpa de lesa-evolução. Quem vadia rouba à sociedade e a si mesmo. O novo mandamento é trabalhar.

Trabalho - Amai o trabalho como disciplina do espírito, como escola de ascensões, como absoluta necessidade da vida, correspondente aos imperativos supremos da Lei, que impõe vosso progresso mediante vosso esforço.

Ao conceito limitadíssimo, egoísta e socialmente danoso, de TRABALHO lucro, é preciso substituí-lo pelo conceito de trabalho-dever e de trabalho-missão.

Aprendei na escola do TRABALHO - o primeiro direito da vida.

Como todas as coisas, também o TRABALHO, para ser fecundo e criador, deve estar saturado de amor.

O TRABALHO não é uma condenação social dos deserdados, mas um dever de todos, ao qual não é lícito fugir.

O TRABALHO não é uma necessidade econômica, mas uma necessidade moral.

Oh! que tremendo TRABALHO este nascer, viver e morrer, para renascer, reviver, remorrer - este dever de evoluir para levantar-se das quedas, para redimir-se na dor, para liberar-se e retornar ao espírito!

Realizai o TRABALHO oferecido por vosso destino e não invejeis quem está no ócio.

Trajetória - A Lei é justa, as trajetórias, as responsabilidades, os destinos são individuais.

O tipo de TRAJETÓRIA ou destino é estabelecido pelos impulsos que o indivíduo, com o seu livre arbítrio, tem o poder de lançar no campo fechado da própria personalidade, que assim estabelece o tipo de órbita que ela deve percorrer.

Quando uma TRAJETÓRIA é anti-Lei só há uma solução: o choque contra a Lei, isto é, o esfacelar-se contra as suas invencíveis resistências e ficar massacrados. Depois sofrer, pensar e aprender, através da experiência, uma dura lição.

Transformação - A involução é um processo de transformação dos valores positivos do S (Sistema) nos negativos do AS (Anti-Sistema). A evolução é o processo inverso, de transformação dos valores negativos do AS (Anti-Sistema) nos positivos do S.

A obra de TRANSFORMAÇÃO ética, mental e espiritual, que o homem concebe como conteúdo da evolução, começa a aparecer com a consciência no nível humano, da qual encontramos as primeiras tentativas nos exemplares de vida mais atrasados, nos animais, e mais atrás, nas plantas.

Na TRANSFORMAÇÃO biológica a vida vegetativa animal renasce, como espírito, em fase mais adiantada.

Como a queda não foi no mesmo nível para os que se afastaram de Deus, o psiquismo de muitos seres desceu a planos inferiores ao humano.

Transformismo - O transformismo é a forma de nossa existência, não somos uma coisa fixa, mas uma trajetória em movimento.

Quem quer que possua olhos de ver e ouvidos de ouvir, sente que o mundo está vertiginosamente lançado em direção a um TRANSFORMISMO evolutivo de uma intensidade e rapidez sem precedentes.

Razão - Não invoqueis a prova do prodígio, quando podeis possuir a da razão e da fé.

A razão e a fé pertecem ao espírito e o prodígio à matéria.

Reencarnação - A cada passo, morte e reencarnação. Não há outra maneira para realizar o transformismo evolutivo.

A REENCARNAÇÃO é uma verdade biológica positiva, que hoje pertence já à ciência; é fato objetivo independente das afirmações de qualquer escola ou religião.

Buda, há 400 A.C., já citava a reencarnação em seus ensinamentos.

A teoria da REENCARNAÇÃO está em harmonia com as leis da natureza que conhecemos, como a indestrutibilidade da substância, pela qual, se as mudanças se operam só na forma, a personalidade humana poderá mudar, mas não ser destruída.

A matéria é destrutível, mas a substância que a anima é indestrutível.

A teoria da REENCARNAÇÃO, é uma coisa séria e não deve ser usada para satisfazer vã curiosidade. Quem chega a ter intuições a respeito, estude a si mesmo, faça pesquisas íntimas para conhecer-se e reconstruir a história de seu destino, para melhor trabalhar de acordo com a Lei de Deus.

O conhecimento de reencarnações passadas só é útil para melhor obedecer à vontade de Deus e retificar a trajetória de nosso destino.

Eis que a técnica da REENCARNAÇÃO se enxerta em cheio no processo evolutivo, base do transformismo que representa a condição de renovação, de salvação, sem a qual não se pode voltar a Deus.

No sistema REENCARNACIONISTA o eu é uma individuação eterna, personalidade em formação pela evolução, e única responsável diante da Lei; personalidade que colhe em bem ou mal, sob a forma de destino, o que ela quis livremente semear.

O fenômeno da REENCARNAÇÃO não é estático, mas em contínua transformação, no sentido de que ele se torna cada vez mais vida e cada vez menos morte.

O tempo de desencarnação é tanto menor quanto mais primitivo é o ser. Os evoluídos demoram  mais a vir a este mundo, porque estão mais adaptados ao outro.  

O ritmo vida-morte, iniciado com a primeira queda, poderá ser lentamente reabsorvido e esgotar-se, até o regresso a Deus, lá onde se extingue a REENCARNAÇÃO.

O segredo está em não se deixar atrair cegamente por uma matriz, escravo do desejo, mas em saber escolhê-la com inteligência, para obter uma REENCARNAÇÃO e uma vida não de simples satisfação, mas de progresso.

Eis a grande vantagem de evoluir, ter o direito e poder escolher a família onde nascer.

O segredo para a escolha de uma REENCARNAÇÃO, que nos faça, mais tarde, sofrer menos possível, é o desapego de tudo, é o não se deixar atrair pelos velhos instintos, que nos reconduzem aos antigos ambientes, é o saber desamarrar-se de tudo que a ele nos prende, para poder entrar em ambientes melhores, ainda que estes não correspondam a nossos gostos do momento.

Os que admitem a REENCARNAÇÃO e negam a teoria da queda, não percebem como estão ligadas fundamentalmente as duas coisas, e que, negando eles a queda, negam o Anti-Sistema e tudo o mais que possa explicar a presença da morte e dessa alternativa vida-morte, que se chama reencarnação.

Queda e reencarnação são concordantes. Queda significa mergulhar no Anti-Sistema e o ciclo vida-morte-vida está contido nele. O ciclo nascer-morrer-renascer é o processo reencarnatório. Ambas têm o mesmo sentido espiritual.

Quando dizemos evolução orgânica temos de dizer também evolução do princípio espiritual que a gera, o que implica a necessidade de existências sucessivas, ou seja as REENCARNAÇÕES.

REENCARNAÇÃO significa uma série de vidas humanas sucessivas para a mesma personalidade espiritual.

Sem REENCARNAÇÃO, perderia o sistema do universo todo o poder de recuperação, para corrigir sua imperfeição e voltar à perfeição, e a dor seria um tormento sem sentido, nem escopo útil.

Só com a teoria da REENCARNAÇÃO, podem conciliar-se os dois extremos opostos: liberdade e responsabilidade de um lado e determinismo de outro.

Religião - A função das religiões não é somente a de afirmar princípios, mas também a função prática de dirigir as consciências, de educar as massas.

A minha RELIGIÃO é a união com Deus no pensamento e nos atos.

A RELIGIÃO do biótipo superior é imparcial e universal, não um partido de grupo.

Quanto mais evoluído o dirigente, mais imparcial e universal é a sua filosofia de vida.

A universal RELIGIÃO do espírito, que compreende todas as outras, pede apenas que se ame a Deus amando o próximo como a si mesmo.

As RELIGIÕES tomam um significado biológico positivo, mesmo perante a ciência materialista, na medida em que elas cumprem uma função evolucionista fundamental, a espiritualização.

As RELIGIÕES, tantas e, erro imperdoável, todas lutando entre si, exclusivistas na posse da Verdade e isto em nome do próprio Deus, aplicando-se não a procurar a ponte que as una, mas a cavar o abismo que as divida.

Como na ciência, também nas RELIGIÕES, a investigação deveria ser livre, não fechada e condenada. As várias doutrinas deveriam ter, como tudo o que existe, também uma porta aberta para o caminho da evolução.

Em todas as RELIGIÕES, as mesmas qualidades, próprias do homem: absolutismo, dogmatismo, farisaísmo, proselitismo, imperialismo etc.

Não se voa com uma asa só. Com a RELIGIÃO apenas, se cai na superstição, só com a ciência, resvala-se para o materialismo.

Quando a RELIGIÃO fundamentar-se no céu, não haverá, como não há para os santos, razão de rivalidades na Terra e desaparecerão todos os males que dela derivam.

Quando uma RELIGIÃO dita normas de vida para transformar o homem, este procura transformá-las num meio para satisfazer as suas necessidades e vencer na sua luta pela vida. Deste modo, ele adapta a religião às suas próprias comodidades, de maneira que lhe sirva e, se não lhe serve, não a aceita.

Existem religiosos que servem-se da religião e não colaboram com a religião.

RELIGIÃO de substância, é a religião do exemplo, da bondade e do amor.

Respeitamos todas as RELIGIÕES e doutrinas; não pretendemos de maneira alguma destruí-las ou superá-las, a fim de as substituir por outras. Ensinamos, sempre, o maior respeito pela fé e filosofia alheias.

Temos aqui a aplicação dos princípios: imparcialidade e universalidade.

Também as RELIGIÕES evolvem, pois que se aperfeiçoam as relações entre a alma e Deus, que elas exprimem.

Se tudo evolui, a religião que se estagna fica superada e tende a desaparecer. O fanatismo religioso é um dos caminhos que leva à estagnação.

Uma RELIGIÃO, por ser mais inteligente e consciente, representará uma posição espiritualmente mais avançada, um maior grau de compreensão do pensamento de Deus.

Renúncia - Colocado diante do impulso da evolução, o homem sente mais a pena da renúncia ao seu mundo e da separação da própria materialidade, do que a alegria de crescer num mundo maior, ligando-se a uma forma mais alta de vida: a do espírito.

O ser humano é imediatista, prefere este mundo, que vê e toca, embora transitório, ao outro que não vê, nem toca, mas é eterno.

Renunciar - Renunciar ao próprio egoísmo para colaborar com o seu semelhante, não é, apenas, uma regra evangélica, mas também um progresso social: é uma lei de evolução da vida para todos, sejam de que religião ou filosofia forem.

Responsabilidade - A responsabilidade é relativa ao grau de evolução, porque age em função da maior ou menor extensão da zona de determinismo ou livre-arbítrio, que predomina na personalidade.

Falo de RESPONSABILIDADE substancial, não da aparente que os homens se impõem mutuamente, por necessidade de defesa e de conveniência.

Ressurreição - A ressurreição significa um ressurgimento para uma nova vida que se substitui à velha, continuando sob outra forma, segundo outro tipo de existência - espiritual em vez de material.

Essa ressurreição pode acontecer conosco, durante esta vida. " Ressuscitai com a minha ressurreição" (Grandes Mensagens).

Hoje, aqui, neste cume do Alverne, não choro mais a minha paixão em Cristo e a paixão do mundo, mas canto a minha RESSURREIÇÃO em Cristo e a ressurreição do mundo.

Pietro Ubaldi escreveu "Ressurreição" no Monte Alverne, onde fez solenemente seus três votos: "Senhor, sou Teu servo, nada mais quero do que isto"; "Senhor, eu Te ofereço a mim mesmo pela salvação do mundo"; e "Senhor, seguir-Te-ei até à cruz". Foi nesse monte que São Francisco de Assis recebeu os estigmas  (Ascensões Humanas)

No dia da RESSURREIÇÃO, repito-vos a palavra da ressurreição.

O AS (Anti-Sistema) se manifesta com o seu feroz assalto feito de dor (crucificação) e o S (Sistema) com o seu luminoso triunfo na esfera da vida (RESSURREIÇÃO).

O Anti-Sistema e o Sistema se defrontam na paixão de Cristo. O Sistema é o vencedor.

Retidão - Por retidão, entendemos o vasto sentido de positividade em qualquer campo, que significa altruísmo, construtividade, espírito de colaboração e unificação, os quais levam ao estado orgânico da sociedade, baseado na ordem.

Como está faltando espírito de retidão no mundo e em nós mesmos...

Procurar o Reino de Deus e a Sua justiça significa, em substância, viver com RETIDÃO, admitindo, também, que o homem honesto cumpra espontaneamente o seu dever de trabalhar. Ora, a quem cumpre este dever, ainda que não se preocupe com o amanhã, é bem difícil que venha a faltar o necessário.

Reunificação - Se, no fundo da queda, o ser atingiu seu estado de máximo separatismo, no cimo da ascensão o ser só pode atingir o seu estado de máxima reunificação.  

Revelação - Dos planos mais altos, descem as revelações que se comunicam a vós por sintonização de ondas psíquicas, partindo de seres de outras esferas; consciências imateriais não perceptíveis aos vossos sentidos, que vossa razão não pode individualizar.

Não vos assusteis com essa palavra: REVELAÇÃO não é apenas aquilo de que nasceram as religiões, mas também qualquer contato da alma humana com o pensamento íntimo que existe na criação, contato que revela ao homem um novo mistério do ser.

Revelação, aqui tem um sentido amplo, retira a idéia egoísta de uma revelação fechada em determinados princípios.

Revolta - A revolta foi determinada por um novo impulso, derivado do egocentrismo da criatura, que se colocou em movimento contrário ao egocentrismo de Deus.

O egocentrismo de Deus é altruísta e o da criatura é egoísta.

A REVOLTA padeceu de um erro fundamental de estratégia: o de haver confundido semelhança com identidade. Deus, na Sua bondade com a criatura e por amá-la, fizera-a semelhante a Ele, mas não idêntica, isto é, da mesma natureza, mas não da mesma potência.

Confundindo semelhança com identidade, a criatura sentiu-se poderosa e afastou-se do Criador, para experimentar seu próprio poder. O resultado de sua experiência foi o Anti-Sistema.

Em sua sabedoria e bondade, Deus previu tudo e de modo que a REVOLTA não pudesse produzir uma ruína definitiva do Sistema.

O ser caído contém o germe de sua própria reconstrução, retorno ao Sistema.

Revolução - A revolução do evoluído não se faz polemizando para destruir as velhas verdades, mas explicando e vivendo as novas.

Rico - As posições de rico e pobre são cíclicas e todos as percorrem por turnos, obrigados a fazer esforços e a aprender lições, num trabalho útil para evoluir, o que representa o precioso resultado final desse belo jogo.

Riqueza e pobreza se repetem e se alternam ao longo de nossa trajetória evolutiva, pelos milênios afora. Tudo na vida é experiência para evoluir.

Hoje a luta entre RICOS e pobres não é mais uma circunscrita luta de classes, mas é luta entre povos. O problema não é mais de ordem interna, mas mundial. Ele não respeita mais à justiça social, mas dele depende a manutenção da paz. Isto porque povos pobres assaltam os povos ricos.

Na prática, é necessário distinguir um RICO do outro e um pobre do outro, porque nem todos são iguais.

Não sejais RICOS por fora e pobres por dentro, mas ricos por dentro e pobres por fora.

Os povos RICOS terão o dever de ajudar os povos pobres e estes terão o direito de ser ajudados; também terão o dever de fazer frutificar com o seu trabalho as ajudas recebidas para não se tornarem sempre pesados.

Se os pobres conhecem a necessidade e a preocupação para obter o necessário, os RICOS sentem outra miséria, não econômica, mas que consiste na inquietação de poderem ser derrocados a cada momento, de terem de suportar a mentira em seu redor e de arriscarem à decadência a que leva a vida improdutiva.

Riqueza - A vida quer a riqueza produtiva, que se associa ao trabalho por ser fruto dele e admite também a riqueza hereditária, isto é, recebida gratuitamente desde que seja a mesma fecundada por novo trabalho.

É legítima a RIQUEZA, quando ela é um meio para realizar a ascensão evolutiva.

É necessário compenetrar-se de que pobreza não existe na infinita RIQUEZA de Deus, de que os bens são ilimitados e constantemente irradiados, sempre prontos a saciar qualquer possível necessidade.

É verdade que a RIQUEZA pode ser fruto de operosidade, disciplina, poupança, inteligência. Riqueza lícita, honestamente ganha, benéfica e bendita, que é vantagem para a sociedade, porque produto não de extorsão, mas de laboriosidade positiva.

Há dinheiro que não pode dar prazer. Possui-lo não é lucro, mas perda; não é RIQUEZA, mas pobreza; foi substancialmente impregnado de qualidades negativas e é uma força de destruição.

Não é empobrecendo os ricos que se podem enriquecer os pobres, mas fazendo os pobres produtores de RIQUEZA, para sua própria vantagem.

O valor da RIQUEZA depende do uso que se faz dela.

Parece impossível sem a correspondente pobreza espiritual, atingir-se à RIQUEZA material e, sem a cor-respondente pobreza material, atingir-se à riqueza espiritual.

Quando tivermos aprendido a lição do desapego, quanta RIQUEZA poderá chegar! Aprendida a lição da renúncia, quanta abundância! Aprendida a lição da humildade, quanto poder!

Rússia - Não há necessidade pois, de agredir a Rússia. Se não for destruído pelos outros, será o próprio comunismo soviético que matará o Comunismo soviético.

Essa profecia se cumpriu integralmente com a derrubada do muro de Berlim e a queda do regime totalitário na Rússia.

O verdadeiro merecimento da RÚSSIA de hoje, é o de haver imposto, com suas formas violentas, à atenção do mundo, o problema da justiça econômica, que assim teve de ser tomado em consideração, a sério, em escala bem ampla.




  • pesquise na obra
  • avancemos
  • palestras e estudos
  • livro a lei de Deus
  • congressos
  • livraria