“Os primeiros seguidores do ideal são poucos e têm de arrastar consigo, com a palavra e o exemplo, muitos outros. O ideal nos é oferecido do céu como uma proposta de trabalho. Cabe ao homem traduzi-lo em realidade, vencendo todas as resistências do AS que se oponham à reconstrução do S.”
(Pietro Ubaldi - A descida dos ideais)

Há mais de meio século, iniciou-se o movimento para trazer pela primeira vez o Missionário do Cristo à pátria do Evangelho, começando a divulgação de sua Obra em nosso país. Olhando em retrospectiva, é um caminho de Luz que está sendo construído com a iniciativa de idealistas, os quais, com coragem e abnegação, transformaram seu solitário ideal em uma semente, cujas árvores hoje florescem pelo Brasil e pelo mundo afora.

Muitos fazem parte dessa trajetória. Alguns sucumbiram à luta pela sobrevivência material ou deixaram-se vencer pelas incompreensões e ingratidões humanas, abandonando o caminho; outros partiram para a pátria distante. Aqueles que permaneceram guardam consigo o exemplo dos que se foram e o dever de acolher os muitos que chegam. Em comum, tiveram, tem ou terão a oportunidade e responsabilidade de ter contato com tão sublimes ensinamentos, em um momento crucial do destino da humanidade.

Ao longo desses anos, a Obra de Pietro Ubaldi segue uma trajetória ascendente, alimentando os que tem fome de conhecimento e de orientação espiritual. Isso só é possível graças aos seus herdeiros espirituais, os quais não medem esforços - materiais e espirituais - para que a Obra chegue aos outros herdeiros espirituais espalhados pelo mundo.

No Brasil, são inúmeros os grupos de estudos espalhados por todas as regiões do país, muitos deles sediados em residências particulares, rememorando a forma e a força dos primeiros movimentos de estudo e divulgação do Evangelho primitivo! Em muitos casos, grupos pequenos se expandiram, transformando-se naturalmente em núcleos de divulgação da Obra pelo país.

E esse mesmo movimento já pode ser observado em outros países, em outros idiomas. Na Venezuela, por exemplo, um pequeno grupo de idealistas, por livre vontade, assumiu o compromisso de traduzir, divulgar e publicar em espanhol toda a Obra de Pietro Ubaldi. Organizados em torno do IPU da Venezuela, ignoraram as dificuldades de um pais pobre e de poucas oportunidades, e com recursos amealhados com o suor da própria labuta, sem pedir coisa alguma além de prece e fraternidade, já traduziram do original 9 títulos, colocando-os para acesso gratuito pela internet, enquanto não conseguem publicá-los todos. Em Portugal, o Centro Lusitano de Unificação Cultural, entidade filosófico-espiritualista de caráter universal, promove cursos e seminários sobre a Obra, à luz da Teosofia. Na Itália, anualmente acontece um seminário em Foligno, cidade natal de Pietro...

São esses herdeiros espirituais, grande parte deles anônimos, os inúmeros colaboradores do Instituto Pietro Ubaldi. Isso faz do IPU mais do que uma Instituição tradicional, mas uma unidade coletiva formada por esses idealistas, sem pátrias e sem nomes, unidos por um só pensamento, o qual evidentemente não tem forma e transcende ao tempo e ao espaço.

É papel do IPU agregar todos os idealistas que se lançam ao trabalho pela Obra, apoiando-os nas suas iniciativas e esforços; é justo reconhecer que, se o Ideal permanece vivo, o mérito pertence em grande parte a esses que abraçaram o seu dever para com ele.

Convidamos você a ser um desses colaboradores! A Obra de Pietro Ubaldi é a releitura do Evangelho para os homens do Terceiro Milênio. É um renovado convite do Cristo à humanidade. Cabe a cada um de nós aceitá-lo e, aceitando-o, fazer da própria existência um preito de gratidão a Deus por essa oportunidade redentora.

Temos um grande compromisso com o próprio destino, e não sabemos quando teremos outra oportunidade de ter contato com a gênese de tão sublimes conhecimentos espirituais, que em muito antecipam-se aos tempos.

“A Obra está aí escrita. As pessoas têm quanto tempo quiserem para compreendê-la. Isto já não é trabalho meu, o qual era apenas expor tudo para que pudesse ser compreendido. Tarefas e responsabilidades estão bem definidas. A cada um o seu. Eu vou-me embora, com o meu esforço realizado, para recolher o fruto em outro lugar. Os outros ficam com o seu trabalho para fazer, se quiserem recolher o resultado. No final se dividem os campos, e cada um permanece só diante da Lei, na posição que lhe compete.”
(Pietro Ubaldi - Um Destino Seguindo Cristo)




  • pesquise na obra
  • avancemos
  • palestras e estudos
  • livro a lei de Deus
  • congressos
  • livraria