Quanto mais a alma sobe, tanto mais é agredida pelas forças do mal. A lei do equilíbrio contém suas reações. Quanto mais sofreres e mais subires, mais subirás e mais serás tentado, porém, mais forte serás, também, para vencer.

Estas forças adquirem figura concreta: Satanás. É a imagem do homem quando o mal se apossa dele; a força se personifica em nós quando somos malvados. Ele é, portanto, real e próximo. É uma vibração presente em nossa consciência. Está entre nós, dentro de nós.

Aparece também nos grandes místicos o momento secreto e terrível, no qual o grande sonho sentido no ardor da fé se decompõe num caos horrendo. É a desforra da baixeza, a hora das trevas. E o Getsêmani, é a zombaria da loucura embriagada e triunfante que se diverte com o martírio do santo.

Esse insulto é Satanás. É uma força baixa, brutal, enorme, negra, imersa na inconsciência. E uma investida estúpida e feroz: explode, desafoga-se, esgota-se, extingue-se e pára, estupidamente, sem ter alcançado a meta, sem nada ter compreendido de si.

Tenho vivido estas lutas. Então a alma se sente oscilar à  beira de um abismo, que abre as fauces para tragá-la. O grande sonho realizado no tormento de cada dia parece ameaçar ruína.

*   *   *

Começa a luta. O inimigo desce dentro de mim e toma lugar em meu coração.

Sou eu ou é ele? Quem ó que nega e quem é que afirma, dentro de mim? Como me posso cindir assim, entre a minha alegria e o meu tormento, entre o triunfo e a derrota, entre a minha ascensão e a minha abjeção?

Dentro de mim se reúnem as forças do bem e do mal. Sou aquelas e estas: duas metades de mim mesmo se digladiam horrivelmente.

Começou a luta e em ambos os lados recebo feridas profundas.

"Tu me traíste", diz em mim o homem ao espírito. Sê maldito, traidor de minha vida".
"Estou exausto — diz o espírito. Não sou mais, não vejo mais. Senhor, tem piedade de mim".
A minha alma se arrasta, perseguida pelo inferno terrestre. A realidade de todos me insulta e me repudia. "Idiota", dizem-me. A multidão repete: "Louco, morre. Bem o mereces".

Meu corpo tem fome, está cansado. A fonte de meus cantos estancou na garganta seca. O mundo me diz: "Morre". No entanto, foi por sua dor que eu ouvi, me comovi e me entreguei.

Peço auxílio. Motejando, Satanás murmura: "Se estás ao lado de Deus, pede-lhe que te salve e te levante".

Mas, tudo permanece indiferente do lado de fora. Portanto, eu estou errado e os outros é que têm razão.

Levanto, então, os olhos e grito: "Senhor!" E o céu se abre e uma voz que desce do Alto diz: "Acalma-te, filho!"

Então, encontro força para dizer: "Vade retro, Satana! "43 E o mal se afasta.

*   *   *
No entanto, Satanás volta. Minha mente duvida e o mundo grita ainda: “Louco! O teu ideal é absurdo. Não é aqui neste mundo que se pode realizar. Onde está o homem de que falas? Onde esta a punição profetizada, a justiça de Deus? Utopias. No mal, o mundo caminha mais alegremente que nunca. Vai, tolo, caminha sozinho. O mundo sabe divertir-se sem ti”..

"Duvidas? Então, invoca teu Deus para que te ilumine, para que desencadeie a tempestade saneadora, para que refaça o homem. O mundo conhece o seu caminho e não precisa de ti".

E em verdade, o mundo caminha e não pede salvação.

Grito, então: "Senhor, ajuda-me! Eu me perco!

Que posso fazer só e cansado contra o mal organizado e poderoso, rápido e tenaz? E o céu se abre e uma luz desce do Alto e escreve no meu coração: "Acalma-te, filho!"

Então, reencontro a luz e posso dizer: "Vai-te, Satanás". E ele se vai.

*   *   *

Satanás, porém, volta ainda. Meu coração é um deserto. Cada amor humano secou-se dentro dele. Estou só e desamparado. Tenho frio. Primeiro, gritou a fome do corpo e eu venci. Depois gritou a sede da mente e eu venci. Agora, grita a paixão do coração e não sei vencer.

E o mundo me diz: Louco! Quem queres que responda ao teu amor? Caminha, caminha. O mundo sabe bem amar sem ti. O teu coração geme? Pois bem, invoca o teu Deus. Ele que te responda, que te satisfaça e demonstre aos homens o Seu amor

E vejo o mundo indiferente correr unicamente para suas paixões.

Então, elevo o coração para o alto e grito: "Senhor, amo-Te!" E o céu se abre e uma palpitação desce do alto, freme dentro do meu coração e aí canta: “paz, filho!”

Então, eu reencontro o amor, lanço a Satanás um olhar ardente e digo-lhe: "Vai-te, Satanás, para sempre, porque eu venci. Unido a mim, em meu coração, esta o meu Deus. As tuas forças não prevalecerão" E Satanás foge precipitadamente, vencido.

O meu corpo, a minha mente, o meu coração não puderam renegar Deus. O caminho da dor era o verdadeiro.
_______________________________________________________
43 - "Vai-te, Satanás" ou “Retira-te, Satanás". — Na tradução latina do Evangelho encontram-se estas palavras, dirigidas por Jesus a Simão Pedro, quando este O censurou por haver anunciado aos discípulos Sua grande rejeição, Sua morte e ressurreição. (Marcos, 8:31-33). Encontra-se também expressão semelhante na narrativa da Tentação (Mateus, 4:9,10). (N. do T.)

 




  • pesquise na obra
  • avancemos
  • palestras e estudos
  • livro a lei de Deus
  • congressos
  • livraria